Laboratório Exata

Blog

/

Arquivo: agosto/2018

Como evitar que os bovinos sejam prejudicados pela seca?

Publicação: 23/08/2018 às 13:54 | Autor: Laboratório Exata | Comentários: 0

O período de seca é uma grande preocupação dos produtores. Isso porque as pastagens amadurecem, os teores de fibra são elevados, a produção de folhas diminui, caem os níveis de energia; minerais; e teores de proteína. Tudo isso prejudica muito o desempenho animal. Mas alguns cuidados podem ser tomados para combater tais efeitos: 
- Na alimentação dos bovinos, realizar uma mistura para corrigir a falta de proteína e energia. Um exemplo de opção é o farelo proteico, que supre a deficiência de nitrogênio (fundamental para auxiliar as bactérias ruminais na fermentação do alimento ingerido, disponibilizando nutrientes para o bovino);
- Deve ser garantido o espaçamento ideal no cocho, para que todos os animais consigam consumir o suplemento de forma homogênea. Para cada produto há um espaçamento mínimo, e os proteinados necessitam de uma metragem maior de cocho;
- Manter sempre água de boa qualidade e à vontade disponível aos animais, com bebedouro próximo ao cocho;
- Manejar racionalmente as pastagens durante a estação de crescimento (águas). Para isso, no final dessa estação (aproximadamente na segunda quinzena de fevereiro) é recomendado iniciar a programação de veda do pasto, conservando alguns piquetes sem animais pastejando, para que durante a seca essas áreas estejam preservadas, com maior concentração e qualidade de forragem.

Gestores do Laboratório Exata comparecem ao XXI Congresso Mundial de Ciência do Solo (WCSS)

Publicação: 20/08/2018 às 11:17 | Autor: Laboratório Exata | Comentários: 0

Aconteceu durante a última semana o XXI Congresso Mundial de Ciência do Solo (WCSS), no Rio de Janeiro. Foi a primeira vez que o Brasil sediou o congresso, uma grande oportunidade de protagonizar esse evento que é considerado o maior e mais importante em ciência do solo.

Foi um importante momento para interação na área da agronomia e ciências afins, e o Laboratório Exata confirmou presença através de seus gestores Nilson Brait e Marny Brait, que encontraram os professores Milton Moraes e Alfredo Scheid Lopes, e o pesquisador da EMBRAPA CPAC Robélio Marchão, entre outros renomados profissionais.

Tendo como tema principal a problemática “Ciência do Solo: além do alimento e do combustível”, no congresso foram levantadas diversas questões cruciais para que as práticas agrícolas possam acomodar as próximas mudanças ambientais e climáticas e a segurança alimentar; tais como: “como alimentar um planeta faminto? Como abastecer um planeta sem energia? Como saciar um planeta sedento? Como limpar um planeta poluído? Como alcançar um equilíbrio entre a proteção da biodiversidade e o manejo sustentável da terra para a produção agrícola?” Entre muitas outras questões relacionadas às principais funções do solo.

Grandes nomes da ciência do solo comandaram as conferências: Rattan Lal; Pedro A. Sanchez; Diana H. Wall; Fusuo Zhang; Lúcia Anjos; Maurício Lopes; Thelma Krug e Pablo Tittonell. Além da programação científica, o evento contou com o Concurso de Julgamento do Solo; exposição de arte; ExpoSolos; exibição de filmes tematicamente relevantes para a comunidade científica de solo; e condecorações. Uma das mais amplas programações já vistas nas edições desse congresso mundial!

Confira as fotos: https://www.facebook.com/pg/labexata/photos/?tab=album&album_id=2045612582170232

Saiba mais sobre a incrível técnica ICP-MS

Publicação: 15/08/2018 às 16:22 | Autor: Laboratório Exata | Comentários: 0

Uma das técnicas analíticas mais sensíveis, que possibilita a determinação elementar de mais de 70 elementos químicos em níveis que podem variar de partes por bilhão (ppb) a partes por trilhão (ppt) é a Espectrometria de Massa com Plasma Acoplado Indutivamente (ICP-MS). Essa técnica vem sendo muito utilizada para análises de amostras ambientais, como de solos; plantas; e águas; para a determinação de elementos potencialmente tóxicos, como Arsênio; Cádmio; Chumbo; e Mercúrio; para a determinação de mais de 24 elementos, dentre eles impurezas elementares, visando o controle de qualidade de medicamentos através das novas normas da United States Pharmacopeia (USP <232> e <233>); contaminantes inorgânicos em alimentos infantis (RDC 193 ANVISA 12/12/2017); além de exames ocupacionais para avaliação da saúde dos trabalhadores.
O Laboratório Exata conta com dois equipamentos de ICP-MS e três equipamentos de ICP-OES, além de uma equipe de especialistas pronta para desenvolver a melhor solução analítica para seus clientes. Somos especialistas na aplicação e desenvolvimento de métodos em diversos tipos de amostras para posterior determinação multielementar. Consulte-nos.

Importância da análise do pH do solo

Publicação: 13/08/2018 às 12:53 | Autor: Laboratório Exata | Comentários: 0

O pH do solo é sua medida de acidez e alcalinidade. Os níveis de pH variam de 0 a 14, sendo 7 neutro; abaixo de 7, ácido; e acima, alcalino. Quanto aos solos brasileiros, é ideal que sejam levemente ácidos, com faixa de pH em água entre 5,5 a 6,0 ou pH entre 4,9 a 5,4 em CaCl₂ 0,01 M. Essa é uma regra geral, ressaltando-se que várias plantas têm se adaptado para valores fora dessa faixa, sendo necessário analisar cada caso.

O principal problema do pH com valores menores que esses é o surgimento de Al3+ (alumínio na forma trocável), que causa toxidez às plantas, ocupa as cargas das argilas, impede que os cátions essenciais (como cálcio – Ca; magnésio – Mg; potássio - K) permaneçam no sistema. Quando o pH está entre as faixas citadas acima, todo o Al3+ do sistema é neutralizado, trazendo diversos benefícios às plantas, como a maior disponibilidade de Ca, Mg e K.

A análise de solo indica, entre outros índices, o valor do pH, e, portanto, é essencial para a prática da calagem, que pode corrigir a acidez do solo. Essa redução de acidez promove o aumento da disponibilidade de fósforo e molibdênio, diminuindo a disponibilidade de micronutrientes metálicos, como manganês, ferro, zinco e cobre. Em síntese, os níveis de pH controlam vários processos químicos que acontecem no solo, especificamente a disponibilidade de nutrientes para a planta. Por isso é vital manter níveis adequados para que as plantas atinjam todo o seu potencial.

Você conhece a curiosa história do micro-ondas?

Publicação: 06/08/2018 às 16:31 | Autor: Laboratório Exata | Comentários: 0

Os fornos de micro-ondas têm diversas funções. Além de estarem presentes na grande maioria das casas, eles também estão nos laboratórios, auxiliando nos processos e reações químicas. Mas para chegar às nossas mãos, os fornos passaram por uma história curiosa. Os aparelhos de micro-ondas foram criados durante a Segunda Guerra Mundial, e funcionavam como radares, para detectar aeronaves inimigas. Eles geravam radiações na forma de micro-ondas eletromagnéticas, que, ao entrar em contato com as aeronaves, emitiam um eco que indicava exatamente a aproximação, localização, objeto, direção, e outros detalhes sobre tais aeronaves.

Foi somente em 1945 que a empresa Raytheon patenteou o processo de cozinhar por micro-ondas, e construiu um forno que tinha 1,7m de altura e pesava 340 Kg. A ideia foi do inventor Percy Spencer. Diz-se que um dia, ao passar por um aparelho de radar ativo, uma barra de chocolate que ele carregava no bolso começou a derreter, e então ele percebeu que poderia utilizar o processo para aquecer alimentos.

De lá até aqui os aparelhos de micro-ondas foram utilizados para diversas funções, inclusive laboratoriais. O Exata está entre os poucos laboratórios agronômicos do Brasil que utilizam a técnica de digestão por micro-ondas em suas análises foliares e na determinação de elementos potencialmente tóxicos. Esse sistema permite maior rapidez, nenhuma perda durante o processo de digestão e menor possibilidade de contaminação da amostra, pois a digestão ocorre em sistema fechado a altas pressões. É a mais alta tecnologia analítica, disponível para os clientes Exata!

Por que cresce o uso de aminoácidos na agricultura?

Publicação: 01/08/2018 às 11:58 | Autor: Laboratório Exata | Comentários: 0

A utilização de aminoácidos tem crescido acentuadamente na agricultura brasileira, por apresentar inúmeros benefícios às plantas e contribuir para o aumento de produtividade e qualidade dos produtos.
Os aminoácidos formam as proteínas, enzimas e hormônios que são essenciais aos seres vivos. Eles desempenham diversas funções, e todo o desenvolvimento das plantas depende da presença dos mesmos. As proteínas das plantas são compostas a partir de um grande número de aminoácidos, e sintetizá-los requer bastante energia da planta, ainda mais se somado aos estresses – como falta de água; calor; transplante.
Quando os aminoácidos são livremente fornecidos, a planta os absorve diretamente e faz uso imediato deles. A importância disso é que nas diversas fases de vida da planta ela pode ficar livre do trabalho de sintetizar aminoácidos, e pode amadurecer, florescer e frutificar melhor.
Além disso, pode-se citar que os aminoácidos trazem diversos benefícios às plantas, como tornar a fotossíntese mais eficiente; atrasar o envelhecimento das folhas, prolongando o ciclo produtivo; aumentar a absorção e translocação de nutrientes; proporcionar um sistema radicular mais desenvolvido; auxiliar para que a planta se recupere mais rapidamente diante de situações de estresse; entre diversos outros.
Devido a todos esses fatores, a aplicação de outros insumos associada ao uso de aminoácidos pode representar aumentos consideráveis da produtividade e saúde das plantas.

Diferenciais Exata

Pode comparar. O Laboratório Exata é o líder no Centro-Oeste e um dos melhores do país, oferecendo o melhor custo-benefício
e-box - Sitevip InternetSitevip Internet